Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
20/01/2021 | 18:40 - Internacional / Mundo

Joe Biden chega à Casa Branca após posse no Capitólio

Foto: Instagram/Reprodução

Pandemia e ataque ao Capitólio esvaziaram cerimônia.

O novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a primeira-dama, Jill Biden, chegaram à Casa Branca por volta das 18h (hora de Brasília) desta quarta-feira (20), após percorrerem a pé o trecho final do trajeto até a sede da presidência americana.
Mais tarde, ainda nesta quarta, espera-se que entre suas primeiras medidas no gabinete presidencial, Biden assine mais de 10 atos executivos, inclusive desfazendo uma série de ações de seu antecessor, Donald Trump.
O trajeto de Biden até a Casa Branca foi feito no carro presidencial e, depois, a pé. No caminho havia um forte esquema de segurança para evitar aglomerações por conta da pandemia de Covid-19 e também a atuação de ativistas extremistas, como ocorreu na invasão do Capitólio, no início do mês.
Toda a área ao redor do National Mall, onde fica a residência oficial do presidente americano, está fechada com cercas desde a última sexta-feira (15), e assim permanecerá até a noite de quinta-feira (21). Autoridades orientaram a população a evitar a região e pediram que apoiadores não viajassem à Washington para acompanhar o evento, que tradicionalmente traz multidões à cidade.
Biden assumiu a presidência no Capitólio, a sede do Congresso americano, numa cerimônia sem presença de Trump. Ele fez um discurso em que defendeu a união do país e destacou desafios como a pandemia da Covid-19.
Depois passou tropas em revista e homenageou os soldados americanos mortos no cemitério de Arlington, seguindo tradições das posses nos Estados Unidos.
Decretos previstos
Entre os principais atos que ele deve assinar mais tarde estão medidas sanitárias e econômicas de combate à pandemia de Covid-19, além do retorno dos EUA à OMS (Organização Mundial da Saúde) e ao Acordo de Paris para o Clima.
Também devem ser revertidas decisões como a construção do muro na fronteira com o México e o veto à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA.
Antes mesmo da assinatura do retorno ao Acordo de Paris, a medida já foi saudada pelo presidente francês, Emmanuel Macron.
“Estamos juntos. Seremos mais fortes para enfrentar os desafios de nosso tempo. Mais fortes para construir nosso futuro. Mais fortes para proteger nosso planeta. Bem-vindos de volta ao Acordo de Paris. Muitas felicidades neste dia tão significativo para o povo americano”, disse Macron em uma mensagem.
Veja as principais ações de Biden como presidente que, espera-se, sejam assinadas ainda nesta quarta.
Meio ambiente:
– Retorno ao Acordo de Paris para o Clima;
– Reverter as ações ambientais de Trump “para proteger a saúde pública e o meio ambiente e restaurar a ciência”.
Saúde:
– Acabar com o processo de saída dos EUA da OMS (Organização Mundial da Saúde);
– Obrigar o distanciamento social e o uso de máscaras em prédios e áreas federais e por funcionários públicos do governo e terceirizados.
Política externa:
– Parar a construção do muro na fronteira com o México;
– Reverter o veto de Trump à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA.
Economia
– Estender a moratória para despejos até 31 de março;
– Estender a pausa no pagamento de financiamentos estudantis até 30 de setembro.
Outras medidas
– Lançamento de uma série de iniciativas governamentais para promover a igualdade racial;
– Prevenir e combater a discriminação com base no gênero ou na orientação sexual.

Biden promete ainda para os 100 primeiros dias de governo vacinar 100 milhões e mudar completamente a abordagem de combate à pandemia, para reduzir seu impacto econômico e social.

Osul 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2021 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença